Bambolê e Yoga, sim!

Quando eu digo para as pessoas que dou aulas de HoopYoginiTM – Yoga com Bambolê, a primeira reação que observo é um sorriso: uma mistura de curiosidade, incredulidade e espanto. Eu entendo, bambolê no Brasil ainda está associado a brincadeira de criança e a utilização dele em uma aula de Yoga parece estranha e inadequada.

Explicando de maneira simples, nas palavras de Jocelyn Gordon, a criadora do método: HoopYogini é a integração da Dança com Bambolê, Hatha Yoga e Meditação Mindfulness que encoraja os praticantes a trabalharem o corpo e a mente.

Para entender melhor essa fusão, primeiro é preciso entender o que é o recente “Movimento Bambolê” ou Movimento “Hooping”, em inglês. Esse assunto merece um artigo só pra ele, mas vou resumir:

Foi em meados dos anos 90 nos Estados Unidos, quando em shows e festas eletrônicas as pessoas começaram a usar bambolês para dançar. Diferentes dos bambolês-brinquedos do passado, esses eram enormes, adequados para o uso de adultos, feitos à mão e decorados em várias cores e materiais. O sucesso foi imediato e a “onda” se espalhou rápido, alcançando todos os estilos de músicas e festas, formando comunidades de bambolistas (hoopers) e integrando outras práticas físicas e terapêuticas. Por aqui, o Movimento Bambolê Brasil teve suas sementes lançadas em 2008 e ganhou forma, grupo e comunidade em 2011.

A natureza circular do bambolê incentiva o movimento e a liberdade de expressão. A característica rítmica da prática induz ao relaxamento, acalma a mente, traz a atenção para o corpo e para o momento presente. Bambolear ou dançar com o bambolê, assim como correr ou caminhar, é considerado uma forma de meditação em movimento.

Tendo em vista esses benefícios, a associação com o Yoga não é difícil de entender.

No Yoga Sutra de Patanjali, temos logo na segunda frase a definição do que é Yoga: “Yoga é o cessar das voltas do pensamento”. E o terceiro Sutra explica: “Quando a mente se aquieta ‘aquele que vê’ (eu, você) se manifesta em sua natureza mais autêntica”. Em outra tradução: “Quando o pensamento cessa, o espírito se manifesta em sua verdadeira identidade, como um observador do mundo”.

“Quando eu giro o bambolê, minha mente deixa de girar” e, por isso, enquanto eu bamboleio eu estou praticando yoga.

Quer conhecer mais sobre HoopYogini? Acesse o vídeo da Jocelyn Gordon  e caso deseje se inscrever na Formação de Professores entre em contato comigo para receber um desconto especial dedicado à Comunidade do Movimento Bambolê Brasil!

Hoop Yogini promo video still frame - is hula yoga [with play button]

Anúncios